MIGRACOES - POLITICAS E DIREITOS HUMANOS SOB AS PERSPECTIVAS DO BRASIL, ITALIA E ESPANHA 0% 0 Seja o primeiro a avaliar

MIGRACOES - POLITICAS E DIREITOS HUMANOS SOB AS PERSPECTIVAS DO BRASIL, ITALIA E ESPANHA

  • EDITORA JURUA Fabricante: EDITORA JURUA
  • Cód: 907442
BRL de R$ 127,70 84.60 por R$ 84,60 5x de R$ 16,92 sem juros Economize R$ 43,10
Descrição: Autor: PRONER, CAROLINE; BARBOZA, ESTEFANIA MARIA; GODOY, GABRIEL GUALANOISBN: 8536250687EAN: 9788536250687Edição: 1ª2015Página: 448Sinopse: Parte desta obra está escrita nas Línguas Espanhola e Inglesa. [...] os diversos autores que escrevem neste livro analisam os distintos as... Saiba mais

Descrição Completa

Autor: PRONER, CAROLINE; BARBOZA, ESTEFANIA MARIA; GODOY, GABRIEL GUALANO
ISBN: 8536250687
EAN: 9788536250687
Edição: 1ª2015
Página: 448
Sinopse: Parte desta obra está escrita nas Línguas Espanhola e Inglesa.

[...] os diversos autores que escrevem neste livro analisam os distintos aspectos dos fluxos migratórios contemporâneos, abordando questões cruciais como a relação entre imigração e direitos humanos, a necessidade premente de revisão e a gestão de políticas migratórias para que sejam legítimas e eficazes. O direito a migrar em um mundo em permanente movimento é discutido como um direito elementar, a ser considerado no processo de positivação e internacionalização das normas que regem as relações entre os Estados. Pensar a imigração é uma tarefa a ser cumprida com um olhar descolonizador, em uma perspectiva intercultural que tenha como ponto de partida os direitos humanos.

Como não há uma regulamentação do direito a imigrar, pois ela necessariamente envolveria um conjunto de interesses que abrigam os direitos humanos, a paz internacional, as reciprocidade entre os países e a prevenção da concorrência desleal entre os Estados, as políticas migratórias tendem a ser restritivas. E assim tem sido no caso dos países estudados nos artigos aqui selecionados, cujas legislações visam prioritariamente à admissão de imigrantes que representem mão de obra qualificada ou investidores que gerem empregos a nacionais. Com isso, acabam sendo excluídos milhares de indivíduos que imigram justamente por não terem em seus países de origem melhores condições de vida.



As políticas restritivas são consequência da forma que o